Como vender no lockdown e seguir faturando na crise

Como vender no lockdown e seguir faturando na crise

Vender no lockdown até parece um desafio quase impossível com as novas medidas restritivas e a escalada da pandemia no Brasil.

Mas que tal se permitir enxergar o cenário de outra forma?

A verdade é que os consumidores continuam precisando de produtos e serviços, e você pode até mesmo encontrar oportunidades inéditas nesse período. 

Quer saber como?

Basta se planejar, adaptar o modelo de negócio e ter criatividade nas estratégias de vendas

É o que você vai conferir neste artigo, aprendendo como continuar faturando em um momento crítico da economia e saúde pública. 

Vamos abordar o impacto do lockdown nos negócios e trazer uma série de dicas para começar a implementar hoje mesmo no seu negócio. 

 

Quer superar a crise? Então, leia até o fim e não pare de vender no lockdown. 

É possível vender no lockdown?

Sim, é possível vender no lockdown desde que você tenha um bom planejamento e criatividade para testar novas estratégias.

Desde o início da pandemia, enfrentamos um “abre e fecha” contínuo das empresas de acordo com o avanço do vírus no país. 

Em São Paulo, por exemplo, as cidades vão e voltam na adoção das medidas restritivas do Plano São Paulo, que possui cinco fases: 

Há, ainda, a chamada fase emergencial (antes chamada de fase roxa), que prevê restrições ainda mais rígidas do que a vermelha.

Da mesma forma, outras regiões do país implementam políticas para intensificar as restrições conforme aumenta o número de contaminados, número de óbitos e ocupação dos leitos de UTI das redes pública e privada.

Logo, se você pretende superar o bloqueio total dos negócios, precisa de um plano de contingência para continuar vendendo nesse período.

O impacto do lockdown nos negócios

A cada anúncio de lockdown, o empreendedor fica mais aflito.

Afinal, a medida impõe a paralisação dos negócios não essenciais e até restrições para os essenciais, dependendo da gravidade da pandemia. 

Para as pequenas empresas, é ainda mais preocupante ter que fechar as portas novamente, já que a maioria ainda está longe de se recuperar do prejuízo dos últimos meses.

Uma média ou grande empresa pode ter caixa para suportar 15 dias ou até um mês de lockdown, mas os pequenos já vivem no limite. 

Porém, é possível reverter essa situação com esforço e criatividade.

Este é o momento de esfriar a cabeça e pensar de forma estratégica - e vamos ajudar você a superar a nova fase da pandemia.  

Como vender no lockdown: passo a passo

Para vender no lockdown, você precisa se reinventar e identificar novas oportunidades. 

Confira nossas dicas para superar esse período.

1. Comece pelo diagnóstico financeiro

Com o lockdown decretado, o primeiro passo é olhar para a situação financeira atual da empresa.

Nos meses com maior flexibilização, muitas empresas mostraram sinais de recuperação e conseguiram reverter danos dos períodos anteriores da pandemia.

Mas é claro que o empreendedor ainda enfrenta os efeitos dos lockdowns estabelecidos desde abril de 2020 em várias cidades do país. 

Então, este é o momento de avaliar se sua empresa acumula dívidas ou se conseguiu alcançar alguma estabilidade, mesmo que abaixo do patamar anterior à pandemia. 

Lembre-se de analisar a DRE (Demonstração do Resultado do Exercício), que mostra o resumo de receitas, custos e despesas, e também KPIs como endividamento e liquidez.

2. Faça uma revisão de custos

Com o fechamento obrigatório da empresa, é hora de passar o pente fino nos custos e reduzir ao máximo os gastos para manter o negócio funcionando.

Para começar, analise seus custos e elimine qualquer desperdício ou serviço que não seja essencial.

Você também pode tomar medidas para diminuir o valor das contas de consumo, utilizar benefícios fiscais oferecidos pelo governo para adiar impostos e negociar uma antecipação de férias com colaboradores, por exemplo.

Até mesmo a mudança temporária de sede pode ser uma opção para aliviar os gastos durante o lockdown. 

O importante é priorizar o que é fundamental para a continuidade da sua empresa: sua estrutura, seu pessoal e seus clientes. 

3. Renegocie contratos e empréstimos

Durante um lockdown, todos estamos no mesmo barco e precisamos nos apoiar.

Por isso, há mais flexibilidade para renegociar contratos com fornecedores e empréstimos com instituições financeiras

Você também pode conversar sobre mudanças no contrato de aluguel do escritório com o proprietário, por exemplo.

Qualquer ajuda é bem-vinda, seja uma redução temporária do valor, prorrogação de prazo de pagamento ou parcelamento.

4. Planeje um modelo alternativo de funcionamento

Com a situação financeira sob controle, vale conversar com os colaboradores e planejar um modelo alternativo de funcionamento do negócio.

A solução encontrada depende do ramo de atuação da empresa e das restrições impostas em cada região. 

De modo geral, é possível vender pela internet, utilizar o delivery, criar um drive-thru, realizar uma pré-venda, atender por videoconferência, entre outras estratégias, que vamos apresentar ao longo deste artigo.

O importante é que o formato seja decidido junto com os funcionários, levando em conta as medidas de segurança necessárias, horários e capacidade de atendimento. 

5. Mantenha contato com seus clientes

Durante o lockdown, você precisa se aproximar dos seus clientes e se fazer presente mesmo de portas fechadas.

Para começar, comunique cada medida da empresa diante da situação, como as precauções tomadas em relação à pandemia, novos horários de funcionamento e regras para compras. 

Para aumentar suas chances de manter as vendas, procure conversar com seus clientes e entender suas necessidades nesse momento, utilizando o melhor canal de comunicação para isso (pode ser e-mail, WhatsApp ou telefone).

Dessa forma, você pode descobrir novas formas de atender e oportunidades para estreitar o relacionamento. 

Além disso, lembre-se de coletar o máximo de dados sobre os consumidores e manter os cadastros sempre atualizados

6. Fortaleça sua presença digital

O mercado offline está fechado, mas o digital permanece aberto 24 horas por dia e cheio de oportunidades.

Por isso, o lockdown pede o fortalecimento da presença do seu negócio na web.

Você pode começar a vender pela internet ou investir em marketing digital para alcançar mais clientes, por exemplo.

A seguir, veremos mais ideias para digitalizar seu negócio e manter (ou até aumentar) as vendas. 

Estratégias de vendas no lockdown

Existem vários caminhos possíveis para vender no lockdown e continuar faturando.

Veja algumas ideias para empresas de produtos e serviços. 

Em serviços

O setor de serviços foi o mais afetado na pandemia, mas é possível seguir com as vendas em modelos alternativos.

Confira sugestões:

  • Adotar o modelo de delivery ou drive-thru caso seja um restaurante.
  • Fazer uma pré-venda de pacotes de serviços promocionais para usufruir em alguns meses ou após o término do lockdown. Ex: pacote com corte de cabelo, hidratação e manicure com preço especial.
  • Oferecer a prestação do serviço online por videoconferência, como no caso de consultorias empresariais, academias que oferecem aulas online e instituições de ensino que utilizam EAD.
  • Adiar ou flexibilizar o pagamento de assinaturas e mensalidades no caso de empresas de software e serviços empresariais, mantendo os clientes fiéis e a garantia de receita recorrente.
  • Ainda em negócios recorrentes, oferecer benefícios atrativos para clientes que não fizerem o cancelamento, como um desconto vitalício no plano premium após o lockdown.

Em produtos

Agora vamos às ideias para vender produtos no lockdown:

  • Adotar o modelo de delivery
  • Adotar o modelo de drive-thru
  • Adotar a estratégia “retire na loja” (se as regras do lockdown permitirem)
  • Abrir um e-commerce para aproveitar o crescimento das vendas online
  • Se não tiver condições de iniciar um e-commerce próprio, entrar em um marketplace, como Mercado Livre, Shopee e Amazon, para vender online para um público amplo em troca de comissionamento
  • Vender por meio de redes sociais, utilizando o Facebook Marketplace ou Instagram Shopping, por exemplo
  • Abrir um clube de assinatura e enviar kits de produtos de uso contínuo para clientes todo mês, com várias opções de planos e preços. Já existem clubes de assinatura de livros, vinhos, roupas, cosméticos e muito mais.

Publicado em: 19/05/2021 12:44:26
Facebook Twitter Google Plus LinkedIn Whatsapp
Montreal Contabilidade

Abra sua empresa

Conte com a Montreal para agregar valor ao seu negócio. Converse com a gente!